Cinema,  Variadas

“A Canção do Sul” continua censurado e estará fora do Disney+

Montagem: Boardwalk Times

Ainda não será dessa vez que os fãs de “A Canção do Sul”, lançado em 1946, terão acesso liberado ao filme. De acordo com o The Hollywood Reporter, a produção continua censurada pela Disney e não estará disponível no Disney+.

A plataforma terá mais de 500 filmes da empresa, além de cerca de 5 mil episódios de programas do “Disney Channel” e conteúdo inédito, mas o clássico de 46 não será disponibilizado porque poderia “causar controvérsias entre a audiência”.

Um trecho de “Dumbo” também será cortado para que o filme possa estar na biblioteca virtual. A cena em que o corvo chamado Jim Crow aparece será eliminada. O nome da personagem faz alusão a uma lei americana que aprovou a segregação entre brancos e negros nos Estados Unidos após a Guerra Civil. No live-action de “Dumbo”, a cena também foi cortada.

Montagem: Boardwalk Times

A Canção do Sul

Não é de hoje que o filme sofre censura pela própria Disney. Apesar de ter ganho um Oscar em 1948 por “Melhor Canção Original” com “Zip-A-Dee-Doo-Dah” e ter inspirado um dos mais conhecidos brinquedos de Disneyland e Walt Disney World Resort, a “Splash Mountain”, a produção é classificada, por muitos, como racista.

O filme conta a história de Johnny, que se muda para viver com sua avó em uma fazenda, no período pós-Guerra Civil. Lá, ele conhece o Tio Remus que o ensina uma série de lições através de história contadas. A questão é que, no longa, enquanto Remus conta suas histórias, ele dá a entender que os negros viviam felizes servindo aos brancos nas plantações.

Evitando polêmicas, o filme foi trancado no cofre da Disney ainda na década de 1980, de onde nunca mais saiu. DVDs ou mesmo fitas VHS da produção só existem no mercado pirata.