Disney+

Atriz afirma que demissão foi bullying

Menos de duas semanas após sua demissão da Lucasfilm, Gina Carano deu uma entrevista ao “The Ben Shapiro Show”, cujo responsável é Ben Shapiro, com quem a atriz fechou um novo contrato. O programa irá ao ar nesse domingo (21), mas o Deadline teve acesso ao conteúdo. Ao novo parceiro, Carano afirmou que esperava ser demitida e que sofreu bullying por parte da Lucasfilm. “Eu já passei por muita coisa e já vi muito. Agora, posso ver claramente o bullying que sofri. Já tinha visto acontecer antes”, disse. “Eu não sou a única a sofrer nas mãos dessa companhia, e eu sei isso profundamente”, completou.

Carano também chegou a dizer que tem uma história que seria capaz de mudar a opinião da imprensa a seu respeito, mas isso implicaria um colega de elenco, cujo nome não foi revelado. “Eu poderia dividir uma história que mudaria o pensamento da imprensa, mas eu teria que dedurar um amigo. [Lá] todo mundo tem medo de ser demitido”, afirmou. A atriz ainda considera que sua demissão foi uma perseguição e diz que alguém dentro do estúdio pediu a cabeça dela. “Eles já vinham me observando como um gavião. Na mesma produção, eu vi muitas pessoas que podiam dizer o que queriam. Isso foi um problema pra mim porque eu não queria compactuar com aquilo”.

“Na realidade, eu estava preparada para ser demitida porque eu já vi isso acontecer com muitas pessoas. Eu via o medo nos rostos das pessoas. Eu via o bullying acontecendo e sentia que eles [Lucasfilm] estavam com a arma apontada para mim. Era apenas uma questão de tempo [….] Então, como eu já sabia que a demissão ocorreria em algum momento, eu decidi continuar verdadeira comigo mesma”, afirmou ela, que ainda disse que chegou a receber, acidentalmente, um email de um funcionário da empresa. “Eles, por acidente, me enviaram um email esclarecedor. Então, eu vi que eles estavam prestando atenção. Eu também sabia que algumas pessoas iriam me defender, mas, no final das contas, elas não conseguiram vencer”, explicou.

Carano também disse que só soube da demissão através das redes sociais. “Eu chequei o Twitter e vi que a hashtag [Fire Gina Carano] havia funcionado”, explica. “A Lucasfilm ou a Disney, quem quer que seja, queria a minha cabeça. O pior é saber que isso continua ocorrendo com outras pessoas. Eles [o estúdio e a Disney em si] não têm o direito de fazer esse tipo de coisa. Se eu, simplesmente, aceitar é como se eu estivesse dizendo que está certo o que eles fazem. Eles têm uma história de mentiras, de mentir para as pessoas. Eles já fizeram isso com muita gente, e eu não vou me afundar sem lutar antes”, completou a atriz que perdeu o emprego e os agentes que a representavam após uma série de polêmicas postagens nas redes sociais.

As mensagens controversas que antecederam a demissão de Carano foram deletadas do Instagram, e ela não quis comentar as postagens no programa de Ben Shapiro.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.

Facebook

Parceiros