Cinema Variadas

CEO é o responsável por más decisões da Disney

A batalha judicial entre a The Walt Disney Company e Scarlett Johansson, que se tornou pública na última quinta-feira (29) quando representantes da atriz protocolaram uma ação na Justiça por quebra de contrato, está longe de um desfecho e poderá implicar ninguém menos que Bob Chapek, CEO da companhia. Vários insiders e sites têm afirmado que a responsabilidade do lançamento híbrido de “Viúva Negra” é do executivo. O consequente fraco desempenho do filme e as críticas que a empresa vem recebendo também devem recair sobre os ombros de Chapek, que é conhecido, já há muitos anos, desde quando ainda era presidente de Walt Disney World Resort, como alguém de poucas habilidades e que prioriza os lucros.

Segundo Chris Agar, do ScreenRant, muitos executivos e profissionais da própria Disney têm afirmado que a inexperiência de Chapek em lidar com talentos artísticos e com certas situações resultaram, por exemplo, no processo de Johansson. “Ele jamais imaginou que, dessa vez, essa polêmica poderia explodir bem diante dos seus olhos e atingi-lo”, afirmou Agar, que ainda acrescentou que gestões anteriores teriam encontrado uma forma de mediar a situação antes que ela chegasse ao conhecimento do público. Sharon Waxman, do The Wrap, concordou com o colega e indicou que a má decisão em lançar “Viúva Negra” nos cinemas e no Disney+ foi, de fato, do CEO. Decisão, inclusive, que provocou a insatisfação de Kevin Feige, Presidente da Marvel Studios.

Especialistas também indicam que uma situação como a atual não teria ocorrido se Bob Iger ainda fosse o CEO da Disney. “Bob Iger foi nomeado CEO em 2005 não apenas por sua perspicácia para os negócios, mas por seu domínio na arte de desenvolver e manter relacionamentos que ele havia aprimorado depois de anos de trabalho com estrelas temperamentais de alto perfil. A aquisição e gestão da Pixar, da Marvel e da Lucasfilm são testemunhos de suas habilidades. Já a experiência de Chapek à frente da Disney Consumer, Experiences and Products não exigia o mesmo nível de interação com estrelas, [o que faz de Chapek inábil para a função]”, explicou Gene Del Vecchio, Professor da “USC Marshall School of Business”.

Foto: Leisure Opportunities

Bob Iger deixou o cargo mais alto da companhia no início deste ano, e, desde então, a Disney já se envolveu em diversas polêmicas, inclusive quando decidiu demitir mais de 28 mil funcionários americanos, mas manteve os salários de seus altos executivos, incluindo o do próprio Chapek.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.