web analytics
Shanghai Disney Resort

Disney é acusada de apoiar comunismo na China

O The Washington Post publicou, nesta segunda-feira (20), os comentários feitos pelo Advogado Geral dos Estados Unidos, William Barr, na última quinta-feira (16), em que acusa várias companhias americanas de apoiar o Comunismo na China. Em seu discurso, Barr afirmou que o governo chinês tem pressionado empresas americanas, e estas têm cedido visando a lucros a curto prazo. Entre elas está a The Walt Disney Company que, inclusive, teria membros do Partido Comunista em altas posições da administração do complexo de Shanghai Disney Resort. “Como parte do negócio [para a construção de Shanghai Disney Resort onde foram investidos US$ 5.5 bilhões], a Disney concordou em dar posições de gerência a oficiais do governo chinês. Dos 11 mil funcionários de tempo integral do complexo, 300 são membros ativos do Partido Comunista. Eles, inclusive, exibem o símbolo do Partido em suas mesas e assistem a palestras durante horário de trabalho”, afirmou Barr.

“Eu suspeito que o Walt Disney ficaria desconcertado em ver que a companhia que ele fundou lida com ditadores internacionais, nesses dias. Depois que o Partido Comunista proibiu os filmes da Disney, na China, a companhia começou a fazer lobby de forma mais sistemática para retomar o acesso [….] Como outras empresas americanas, a Disney poderá, eventualmente, aprender da forma mais dura os custos de comprometer seus próprios princípios. Logo depois que a Disney abriu seu parque em Shanghai, um parque temático chinês abriu a algumas milhas de distância com a presença de personagens bastante semelhantes a Branca de Neve e outras personagens registradas da Disney”, disse.

O Advogado Geral da União ainda afirmou que todas as empresas americanas que, hoje, dão apoio ao Comunismo precisam entender os riscos envolvidos. “O Partido Comunista pensa em termos de décadas e séculos enquanto a gente tende a focar apenas no próximo quadrimestre. Mas se a Disney e outras corporações americanas continuarem a reverenciar Beijing, eles arriscam minar sua própria competitividade e prosperidade, bem como a clássica ordem liberal que as permitiu prosperar”, completou.

Foto: Nicole Hester/AP

A The Walt Disney Company não se pronunciou sobre os comentários de Barr.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.

Facebook

Parceiros