Cinema

Disney quer manter controle total de suas personagens

Mediante o sucesso dos filmes da Marvel Studios, nos últimos anos, não é difícil imaginar a quantidade de pessoas que têm estado de olho nas personagens usadas pelo estúdio. A grande maioria delas, apesar de não ter sido criada pela Disney, é, hoje, controlada pela gigante do entretenimento, que tem liberdade para usá-las como quiser. Perder os direitos autorais de algumas, em um momento como esse, seria algo catastrófico para a Marvel. Por isso, o estúdio se antecipou e entrou com uma ação na Justiça para manter o controle total de super-heróis como Homem de Ferro, Homem-Aranha, Dr. Estranho, Homem-Formiga, Gavião Arqueiro, Viúva Negra, Falcão e Thor entre outros.

De acordo com o The Hollywood Reporter, o estúdio está movendo um processo contra os herdeiros de alguns criadores de quadrinhos, tais como Stan Lee, Steve Ditko e Gene Colan. A companhia quer impedir uma rescisão da declaração de direitos autorais e, assim, evitar a perda do controle total de algumas personagens e a consequente divisão de vários bilhões de dólares. Se o contrato entre o estúdio e as famílias dos artistas responsáveis pelas personagens terminar, elas voltarão a ser as donas dos seus respectivos super-heróis, tendo a liberdade de fazer com eles o que quiserem.

Em agosto, o administrador do espólio de Ditko entrou com uma ação pedindo a rescisão do contrato de direitos autorais do Homem-Aranha. A lei que regulamenta esse tipo de relação permite que os herdeiros do artista reclamem, a qualquer momento, a concessão dos direitos depois de aguardarem um período estatutário. Segundo o processo movido, a Marvel teria que abrir mão dos direitos da personagem de Ditko a partir de junho de 2023.

Os herdeiros de Larry Lieber e de Don Rico, que criou a Viúva Negra, também estão de olhos na fortuna da Marvel Studios e querem a rescisão do contrato. Eles têm sido representados por Marc Toberoff, que também entrou com uma ação semelhante contra a DC em nome dos criadores do Superman, mas perdeu. “A DC impediu a rescisão ao entrar com um processo contra Toberoff, alegando interferência ilícita em seus direitos. A editora foi representada por Dan Petrocelli, que, agora, representa a Disney em seus esforços para manter os direitos de alguns dos Vingadores”, explicou o THR.

Através de Petrocelli, a Disney está movendo várias ações em Nova Iorque e na Califórnia contra Lieber, Don Heck, Patrick Ditko, Don Rico e Keith Dettwiler. Se os herdeiros vencerem seus litígios, a Disney terá que dividir seus lucros com mais pessoas e passará a ser apenas co-proprietária de algumas personagens. A lei, entretanto, só se aplica ao território americano, e, internacionalmente, a companhia poderá continuar controlando seus super-heróis.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.