Cinema Disney+

Efeitos Visuais: Artistas acusam Marvel de falta de planejamento

O Universo Cinematográfico da Marvel Studios está repleto de super-heróis, cenários fantásticos e sequências criadas através de computação gráfica, mas os fãs nem sempre ficam satisfeitos com os efeitos desenvolvidos, e cenas de “Pantera Negra”, “Viúva Negra” e “Thor: Amor e Trovão”, por exemplo, já foram motivo de inúmeras reclamações. Recentemente, alguns profissionais da indústria de efeitos visuais começaram a se pronunciar e justificar que os maus resultados se devem à pressão e falta de planejamento do estúdio.

Em entrevista ao The Guardian, Joe Pavlo, que trabalhou em “Guardiões da Galáxia”, foi além e revelou que o ambiente de trabalho criado pela Marvel Studios não é saudável. “Essa indústria está repleta de pessoas incríveis, com muita boa vontade e que realmente se importam com aquilo que fazem, mas no fim das contas não há ninguém que os proteja quando eles são colocados contra a parede pelas loucas demandas feitas pela Disney. Todo o bom trabalho e boa vontade evaporam quando as coisas começam a ser alteradas, e eles decidem substituir uma determinada personagem por outro ator ou resolvem mudar todo o cenário [….] Isso pode ser algo extremo, e eles resolvem de última hora”, afirmou Pavlo, que ainda disse que o estúdio tem um nível de perfeccionismo pouco realístico para os prazos que estabelece.

Segundo o artista, a falta de planejamento obriga esses profissionais a trabalhar além da carga horária estabelecida. “A Disney/Marvel é famosa por querer múltiplas versões da mesma cena para que possa decidir qual será a melhor [….] Então, imagine que você tem uma equipe que desenvolve um cenário, e eles têm que refazer a mesma coisa 35 vezes. Porque é digital, as pessoas não compreendem o trabalho, mas isso envolve muito trabalho, criatividade e longas horas. Isso não se desenvolve por conta própria”, acrescentou. Quase que, por norma, a companhia tem o hábito de fazer uma série de mudanças depois das primeiras exibições de suas produções para o público-teste. A reação da audiências aos primeiros teasers também, muitas vezes, implica em alterações. Além disso, ainda existe a pressão causada por qualquer filme que carregue o selo da Marvel Studios/Disney.

“Como a Marvel Studios é um cliente gigante, eles acabam por exercer pressão nas empresas de efeitos visuais, que, por sua vez, transferem essa pressão para seus profissionais. A atmosfera criada é como se todos nós estivéssemos desesperados para concluir isso e que esse trabalho é o mais importante do mundo. As pessoas nas produtoras e os supervisores criam esse clima de tensão. Muitas vezes, eles próprios não conseguem lidar com a pressão e acabam gerando uma espécie de bullying“, explicou.

No calendário da Marvel Studios, a próxima produção a ser lançada é “Mulher-Hulk: Defensora de Heróis”, e o design da protagonista foi duramente criticado quando as primeiras imagens foram divulgadas. À Variety, Tatiana Maslany, que interpreta Jennifer Walters, saiu em defesa do trabalho feito. “Esses artistas são muito talentosos, e eu fico impressionada com o trabalho deles e como eles são rápidos. Nós precisamos ser conscientes que as condições em que eles trabalham nem sempre são as ideais. Eu vejo algumas cenas, e elas não parecem que foram cortadas de um jogo de video game. Eu consigo ver os pensamentos das personagens. Eu fico muito impressionada com o que eles fazem”, disse. “Se esses artistas estão se sentindo pressionados e sobrecarregados, nós precisamos estar do lado deles e ouvi-los”, encerrou a diretora Kat Coiro.

A Marvel Studios não se pronunciou a respeito da acusão de falta de planejamento e das demandas pouco realísticas.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.