Disney+

Streaming: na mira do governo inglês

As plataformas de streaming estão na mira do governo do Reino Unido, que anunciou, nesta quarta-feira (23), que pretende modificar o regulamento em vigor. De acordo com o Department for Digital, Culture, Media and Sport, novas regras deverão ser estabelecidas para serviços como Disney+, Netflix e Amazon Prime com o objetivo de permitir que emissoras de televisão tradicionais como a BBC, por exemplo, possam competir de forma mais justa com os chamados video-on-demand services.

As mudanças pretendem impor às plataformas regras semelhantes às que já existem para os canais abertos no país. Isso pode incluir alterações na hora de classificar os programas e ainda avisos de imparcialidade antes de documentários. “Nós precisamos nivelar o campo de jogo e resolver a disparidade flagrante que força as emissoras tradicionais a competir como se tivessem uma mão amarrada às costas”, afirmou Oliver Dowden, Secretário de Cultura. “Nós precisamos permitir que as emissoras de serviço público possam competir com rivais internacionais”, completou.

Atualmente, emissoras como BBC e Sky precisam cumprir regras que regulam a produção de conteúdo e suas respectivas audiências, e a ideia é fazer com que as plataformas também se submetam aos mesmos protocolos. “Você pensaria que o mesmo ocorre com serviços como a Amazon Prime e o Disney+, mas não. Claro que eles têm feito um trabalho admirável ao introduzir seus próprios procedimentos, mas queremos manter um cenário de transmissão saudável para todos. Queremos um cenário onde os streamers possam continuar produzindo programas brilhantes enquanto as emissoras de serviços públicos têm a chance de manter o seu lugar no ecossistema de mídia do Reino Unido”, acrescentou Dowden.

Em um artigo escrito no The Times, Dowden ainda afirmou que as plataformas pagas têm modificado os hábitos com que as pessoas veem televisão. “A forma tradicional de se assistir TV está morta. Nós vivemos em um mundo de aparelhos inteligentes, vídeos sob demanda [….] Com um cenário que está sempre mudando e evoluindo, nós queremos assegurar que uma emissora de serviço público poderá se manter e ter sucesso [….] Por isso, estamos procurando uma forma de termos certeza que o nível de competição entre todos é justo”. O DCMS ainda indicou que as alterações deverão “criar um cenário de transmissão diversificado, livre e plural com alto padrão”.

O novo projeto de lei com as mudanças será apresentado ao Parlamento Inglês no outono. Mas a Netflix já se adiantou e afirmou que concorda com as alterações.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.