Variadas

Quem é quem na nova série de Ryan Murphy?

A mais nova temporada de “American Crime Story”, que aborda o impeachment de Bill Clinton após o envolvimento com a estagiária da Casa Branca, Monica Lewinsky, estreou no FX, nesta terça-feira (7). O roteiro do seriado foi baseado no livro “A Vast Conspiracy: The Real Story of the Sex Scandal That Nearly Brought Down a President”, de Jeffrey Toobin, e também na cobertura da mídia na época. Mais uma vez, sob o comando de Ryan Murphy, o programa conta com rostos conhecidos do público, tais como Sarah Paulson, Clive Owen e Beanie Feldstein, que vivem os protagonistas.

Bill Clinton

O britânico Clive Owen foi o escolhido para interpretar o presidente dos Estados Unidos, que terminou tendo o mandato interrompido devido às denúncias envolvendo Lewinsky. Do Partido Democrata, Clinton conheceu a esposa, Hillary, ainda na “Yale Law School”, onde graduou-se em Direito. Quando o escândalo sexual irrompeu, outras acusões de comportamento inapropriado surgiram, manchando a reputação do político. A série aborda como o relacionamento extra-conjugal dele começou, como vazou para a imprensa e a repercussão do caso. Clintou não chegou a finalizar seu segundo mandato, sendo apenas o segundo presidente, depois de Andrew Johnson, a ser tirado do poder.

Linda Tripp

A responsável por vazar o escândalo para a imprensa foi Linda Tripp, que é interpretada por Sarah Paulson, que está irreconhecível graças aos figurinistas e maquiadores. Ela trabalhou na Casa Branca durante os mandatos de George W. Bush e Clinton. Em 1996, conheceu Lewinsky, quando ambas foram transferidas para o Pentágono e se tornaram amigas. Eventualmente, a jovem conta a Tripp a respeito do seu envolvimento com o presidente. Considerando a relação inapropriada e dizendo ser “um dever civil e patriótico” seu, Tripp grava algumas conversas e, com a ajuda de Lucianne Goldberg, termina tornando o caso público. Linda Tripp morreu em abril de 2020, aos 70 anos.

Monica Lewinsky

Beanie Feldstein, mais conhecida por papéis em comédias, tais como “Lady Bird” e “Booksmart”, faz sua estreia como a protagonista de um drama. Ela interpreta a ativista, oradora e ex-estagiária da Casa Branca, Monica Lewinsky. No ápice do escândalo, ela e Clintou prestaram depoimento diante de um júri, o que resultou na cassação do presidente. Não demorou para que ela se tornasse uma celebridade e começasse a participar de programas de televisão e propagandas. Na série de Ryan Murphy, Lewinsky atuou como produtora.

Paula Jones

Annaleigh Ashford vive uma outra mulher responsável por acusar, formalmente, Clinton de mau comportamento. Ela afirmou que, em 1991, quando trabalhou para o governo do Arkansas, na época em que Clinton era o governador, ele a convidou para seu quarto de hotel e mostrou suas partes íntimas. Jones processou Clinton em 1994, e a ação foi levada à Suprema Corte. Foi a acusação de assédio sexual apontada por Jones que levou à investigação envolvendo Lewinsky. Na trama, o marido de Jones, Steve, será interpretado por Taran Killan. Jeanetta Arnett viverá sua mãe, Delmer Lee Corbin.

Lucianne Goldberg

Goldberg já estava tendo conversas com Linda Tripp a respeito de um livro sobre a Casa Branca quando Lewinsky contou a respeito do seu caso com Clinton. Foi a agente literária que encorajou Linda a gravar seus telefonemas pessoais com a estagiária com a intenção de vazá-los para a imprensa. Margo Martindale dará vida a Goldberg.

Além desses atores, a série ainda conta com Edie Falco, que vive Hillary Clinton, e Billy Eichner, que dá vida a Matt Drudge, comentarista político e fundador do site The Drudge Report, que foi o primeiro a vazar o escândalo sexual. Anthony Green é Al Gore, Vice-Presidente de Clinton.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.