Cinema Disney+

Scarlett Johansson em batalha judicial com a Disney

A decisão da Disney de lançar “Viúva Negra”, ao mesmo tempo, nos cinemas e no Disney+, levou a atriz Scarlett Johansson a processar a The Walt Disney Company, alegando quebra de contrato. A informação foi divulgada, em primeira mão, pelo The Wall Street Journal e, depois, compartilhada pela Variety, que afirmou que a petição foi protocolada, nesta quinta-feira (29), no Superior Tribunal de Los Angeles. “Os advogados de Johansson indicam que o contrato com a atriz foi quebrado quando o estúdio decidiu não lançar a produção, exclusivamente, nos cinemas, uma ação que fez a venda de ingressos cair bastante. Dessa forma, muito da compensação que seria paga a Johansson e que estava atrelada aos resultados da bilheteria foi afetada”, escreveu o site.

A Disney anunciou, em março deste ano, que “Viúva Negra” ganharia um lançamento híbrido. A companhia baseou a decisão na pandemia e alegou que os consumidores precisavam de flexibilidade e que, ao lançar o filme, no Disney+, daria mais opções a eles. O longa, então, estreou no dia 9 de julho e arrecadou, no primeiro fim de semana, US$ 80 milhões, nos Estados Unidos, e mais US$ 78 mi, internacionalmente. Na plataforma, teria alcançado US$ 60 milhões. Mas, uma semana depois, o desempenho do filme caiu em mais de 60%, e ele se tornou o mais pirateado desde que a pandemia iniciou.

“A Disney, intencionalmente, levou a Marvel a quebrar o contrato sem justificativa, de forma a impedir que Ms. Johansson pudesse se beneficiar totalmente da sua barganha com a Marvel”, indica o processo, que revela que a atriz receberia vários bônus se o filme atingisse, em bilheterias, determinados patamares. Estimativas dão conta de que a decisão da Disney teria feito a intérprete da Viúva Negra perder cerca de US$ 50 milhões em bonificação. “A Disney escolheu acalmar os investidores de Wall Street e aumentar seus resultados financeiros, em vez de permitir que sua subsidiária Marvel cumprisse o acordo. Para surpresa de ninguém, essa violação tirou, com sucesso, milhões de fãs dos cinemas e os levou ao seu serviço de streaming“, acrescenta a ação.

Até o momento, a Disney não se pronunciou a respeito da decisão de Johansson.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.