Cinema

“Shang-Chi” está cheio de easter-eggs

Como todos os filmes da Marvel Studios, “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis” possui uma série de referências a outras produções e elementos que não fazem, necessariamente, parte do enredo da trama. Os chamados easter-eggs se espalham do começo ao fim da produção e ajudam os mais atentos a entenderem um pouco mais daquilo que está por detrás de certas cenas. Por exemplo, em nenhum momento, fala-se em que ano a história atual se passa, mas uma imagem logo no início mostra um pôster de um grupo de apoio pós-Blip. “Você não está sozinho”, diz o cartaz, que faz os fãs, imediatamente, lembrarem os acontecimentos de “Vingadores: Ultimato” e entenderem que Shang-Chi está em 2023.

No quarto do protagonista, existem pôsteres de “Kung-Fusão” e “The Warriors”, que homenageiam filmes de artes marciais. O álbum “Stankonia”, da banda “OutKast” também é visto. Mais tarde, será a vez de um cartaz do grupo “AC/DC” ser visto nos aposentos de Xialing. A música “Back in Black” foi usada em “Homem de Ferro” e, por isso, a referência foi utilizada no novo filme. Afinal, a história dos Dez Anéis começou a ser contada no primeiro filme do MCU. Foi a organização “Ten Rings” quem sequestrou Tony Stark. O homem que se passa por Mandarim na trama, por sinal, retorna em “Shang-Chi” e é responsável pelo alívio cômico do filme, sem, claro, perder sua importância na conexão dos fatos de ambas produções.

O longa também conta com os retornos de alguns rostos já conhecidos do MCU. Zach Cherry, por exemplo, que apareceu em “Homem-Aranha: Longe de Casa”, volta em uma das cenas de ação mais emblemáticas do filme. Ele não participa da luta, mas grava, com seu celular, o duelo entre Shang-Chi e o Punho de Lâmina. Além de Cherry, Jade Xu está de volta como uma das Viúvas Negras. Ela apareceu no solo de Scarlett Johansson. Wong, de “Doutor Estranho”, e o Abominável, de “O Incrível Hulk”, também participam. O amigo de Stephen Strange fica impressionado com o poder dos Dez Anéis e terminará por convidar Shang-Chi para uma sessão de análise da magia ali presente.

A produção ainda possui uma série de outras referências a histórias vistas nos quadrinhos. Ta-Lo, a terra mística da mãe de Shang-Chi, por exemplo, já apareceu nas revistinhas, onde era um dos locais do Reino Divino, estando entre a Terra e o além. Bem como nas HQs, o Mandarim também cita os diversos nomes que já usou. O Punho de Lâmina, por sua vez, apareceu, pela primeira vez, em 1975, mas morreu logo em seguida e, agora, retorna nas telonas para sua estreia no MCU.

“Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis” vai ficar em exibição nos cinemas por mais mais seis semanas e, então, será enviado para o Disney+.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.