Cinema

Sindicato oferece apoio a Scarlett Johansson

A batalha judicial entre Scarlett Johansson e a The Walt Disney Company vem provocando uma turbulência nos bastidores de Hollywood. Enquanto as equipes da atriz trocam farpas com as da empresa e disputam o apoio do público, estrelas da indústria cinematográfica e grandes estúdios têm permanecido em silêncio, mas não estão parados. Especialistas no assunto afirmam que a polêmica irá provocar mudanças nos contratos de novas produções e que, daqui para frente, tanto atores quanto estúdios redobrarão os cuidados na hora de firmar novos contratos. Os valores pagos aos talentos também serão mais discutidos.

Um dos advogados da Disney, por sinal, afirmou em recente comunicado que mudanças estão a caminho devido à indústria estar em transição. “Os próximos contratos se tornarão muito mais específicos sobre formas de compensação. Não se pode esquecer que há uma mudança radical devido ao advento da internet e a disponibilidade das coisas online“, disse Daniel Petrocelli.

Na batalha judicial, ao lado de Johansson, está o produtor de cinema Jason Blum, que foi um dos poucos a se posicionar sobre o assunto. Ele afirmou que a atriz está liderando uma luta maior que ela mesma e está defendendo toda a sua classe. Declaração semelhante deu a Presidente do “SAG-AFTRA”, sindicato que representa mais de 120 mil artistas dos Estados Unidos, Gabrielle Carteris. “A Scarlett Johansson está dando destaque às mudanças impróprias que as empresas estão tentando aplicar à medida que os modelos de distribuição mudam. Ninguém em qualquer área de trabalho deve ser vítima de reduções surpreendentes na compensação esperada. É irracional e injusto”, disse. “A Disney e outras empresas de conteúdo estão indo muito bem e, certamente, podem cumprir suas obrigações de compensar os artistas, cuja arte e talento são responsáveis pelos lucros da corporação”, acrescentou.

Carteris também criticou as declarações feitas pela Disney a Johansson. “As mulheres não são insensíveis quando se levantam e lutam por um pagamento justo. Elas são líderes e defensoras de uma justiça econômica. As mulheres já foram vitimas da desigualdade salarial durante décadas e continuam sendo vítimas de comentários como os feitos pela equipe de comunicação da Disney. Esses tipos de ataques não têm mais lugar em nossa sociedade, e nós continuaremos a defender nossos membros de toda forma de preconceito”, concluiu.

Dentre os colegas de Johansson na Marvel Studios, apenas um se pronunciou, mas não escolheu partidos. Dave Bautista, que interpreta Drax em “Guardiões da Galáxia”, chegou a brincar no Twitter com a situação. “Eu disse a eles que deveriam ter feito um filme sobre o Drax, mas nããããão!”, escreveu ele, que nos meses passados, teceu algumas críticas ao estúdio justamente por não dar mais espaço a sua personagem. James Gunn, diretor da mesma franquia, foi questionado, recentemente, sobre o que achava do processo e deu uma resposta curiosa. “Eu não li nada muito específico, então não estou muito inteirado do assunto. Eu conheci Scarlett no passado e acho que ela é uma pessoa maravilhosa. E eu acho que ela…você sabe, eu confio na Scarlett”, disse.

A batalha entre Johansson e a Disney ainda deverá provocar mais mudanças em Hollywood e criar novas polêmicas. Do processo, todos os envolvidos deverão sair desagastados, mas apenas um lado ficará mais rico.

Sobre o autor

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto

Patriolino Ribeiro Neto é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza. É também graduado em Jornalismo, área em que atua há mais de dez anos. Em 2008, a estreia na televisão ocorreu quando passou a comandar um telejornal esportivo. Viajar sempre foi uma paixão, tornando-se parte do seu trabalho em 2009. A curiosidade pela Disney o inspira desde pequeno. Muito cedo, começou a frequentar os complexos de parques temáticos da empresa ao redor do mundo e, até hoje, os tem como destinos preferidos. Dentre os seis resorts, Walt Disney World e Disneyland são seus prediletos.